TV e Pipoca Indica: Filme | 1922

Salve galerinha! Hoje é dia de mais um TV e Pipoca Indica.

Falaremos hoje de um filme que vale muito a pena. Principalmente para quem é fã de Stephen King. Aliás, já mencionei o autor algumas vezes aqui no site. E a boa notícia sobre isso é que a Netflix tem comprado muitas obras do King para transformar em séries e filmes. Ou seja, Stephen King ainda aparecerá muito por aqui. E uma dessas obras é o filme deste post que tem o mesmo nome que a obra do autor.

Estamos falando de 1922. Um drama/terror com roteiro e direção de Zak Hilditch e estrelado por Thomas Jane. Aliás, Jane é outro cara que eu gosto muito de ver atuando. E aqui ele vai muito bem interpretando um fazendeiro caipira um tanto conservador e com um sotaque maravilhoso (assista legendado).

O filme retrata o personagem Wilfred James (Thomas Jane) com toda sua loucura após sua esposa, Arlette James (Molly Parker), cansada da vida na fazenda, decide querer vender a fazenda e ir para a cidade. Nisso, Wilfred acaba convencendo seu filho, Henry James (Dylan Schimd), a matar a própria esposa para não ter de abandonar a fazenda.

1922Trailer2-300x125 NETFLIX Séries e TV TV e Pipoca Indica

O filme retrata muito bem a relação da família naquela época, o pai trabalhador que não quer largar a vida no campo, o filho que quer seguir os passos do pai, e a mãe insatisfeita com a vida. Claro que não é uma regra, mas, certamente tinha muitos casos do tipo num distante ano de 1922, numa família do interior.

Tanto é que o desenrolar da história surge a partir do momento que Wilfred e Henry matam Arlette. Não se preocupem, não é spoiler. E daí em diante a história se desenrola num ritmo angustiante. Você espera por um terror que não vem, a melancolia vai tomando conta da trama com um ar sombrio. Os dois homens da família começam a ficar atormentados com a tragédia que cometeram. E na sequência uma série de acontecimentos vão tornando tudo que os cerca, numa iminente tragédia. Mas ela nunca fica explícita o suficiente, e isso torna a trama agradável demais, abrindo espaços para finais distintos.

Aliado a tudo isso, a história é narrada através de uma carta que o próprio Wilfred escreve se arrependendo do que fez no passado.

Aquele clássico filme que você sabe o que vai acontecer, mas, os acontecimentos te fazem abrir leques de possibilidades. Aí no final…. bom, aí basta chegar lá na Netflix e assistir, certo?

Chegamos ao fim, continuem acompanhando o TV e Pipoca, se divirtam e cuidado com os ratos (veja o filme).

Rodrigo Beauclair

Humor. Cinema. Leitura. Quadrinhos. Esportes. Doce de amendoim. Precisa de mais?