Critica Gratuita | Hereditário

Novo patamar do terror é alcançado com “Hereditário”

Em Hereditário, acompanhamos a família Graham, que precisa lidar com a morte da matriarca da família e começa a desvendar segredos estranhos e escusos. Mesmo após a partida da matriarca, ela permanece como se fosse uma sombra sobre a família, especialmente sobre a solitária neta adolescente, Charlie, por quem ela sempre manteve uma fascinação não usual. Com um crescente terror tomando conta da casa, a família explora lugares mais escuros para escapar do infeliz destino que herdaram.

Me assustou muito o título que algumas críticas norte-americanas deram para o longa, como “o novo O Exorcista” ou “um novo patamar para o horror moderno”, pois quando falamos de “O Exorcista”, estamos falando de um filme que realmente moldou todo um gênero, lidou com toda uma leva de crítica pesadas devido o tema que resolveu abordar e com cenas pesadissimas, ainda para os “critérios” atuais.
Mas, fato é que “Hereditário” é sim, sem dúvida, algo fora da zona de conforto do cenário de horror.
Baseado numa história original, por mais que trate em parte de possessão e loucura, Hereditário é sim um ponto fora da curva, apesar de trazer alguns “problemas” da geração atual de filmes de horror.

Com um ritmo que eu prefiro chamar de “próprio”, mas que a maioria do público vai considerar lento, o filme “afoga” o público nas nuances, trejeitos e problemas de cada personagem, sendo fácil destacar a sensacional Charlie (Milly Shapiro, numa estreia arrebatadora) como o pilar “principal”.
Mas é injusto não creditar a sempre competente Toni Collette (aqui como Annie Graham) e Alex Wolff como uma “trindade” (assista ao filme e entenderá a referencia) sensacional.

A real ressalva que fica para o filme é: antes de ser terror/horror, esse é um filme sobre um profundo drama familiar, que se torna um terror a medida que afundamos nos problemas dessa familia.
Tem jumpscare? Sim, talvez, os melhores já vistos em decádas (sim, DÉCADAS).
Tem sangue? Sim, também têm.
E sobrenatural? Também, fique tranquilo.
Mas, então é puro horror e vou morrer de medo!!! Não, não e não.
O melhor exemplo que posso usar é “A Bruxa”, filme da mesma produtora A24, um filme sensacional, uma obra de arte incrível, mas que a maior parte do público não soube apreciar. O mesmo pode acontecer aqui, uma vez que, como faço questão de ressaltar, é um filme “de Drama/Terror”.

Logo, se você procura por um filme cheio de sustos, gritos, desespero e certa superficialidade, talvez esse não seja o filme pra você.
Agora, se você quer mesmo se aventurar numa experiência de horror profundo, que vai te perturbar por noites e mais noites, Hereditário é a melhor opção não só de 2018, mas dos últimos anos.

Marcus Vinicius Rodrigues da Silveira

Pseudo crítico, amante de terror, suspense e sci-fi em geral, apresentador do Crítica Gratuita.