Precisamos falar sobre a criatividade!

A temática dessa publicação foge um pouco dos nossos temas cotidianos, no entanto, ela está intimamente ligada a grandes obras do entretenimento mundial. O que seria do mundo se George Lucas não tivesse tido a coragem e a criatividade de criar algo tão incomum e apaixonante como a franquia de sucesso Star Wars?

E, divagando sobre isso e sobre diversas perguntas que já havia me feito sobre meu processo criativo, decidi montar algumas dicas para que você, meu bom e caro leitor, estimule ainda mais sua criatividade e seus processos criativos, para que conclua por si mesmo que todos nós temos capacidade para sermos os próximos George Lucas, Steven Jobs, Albert Einsten da nossa geração.

Então, mãos à obra. O que é criatividade? E o que são os processos criativos?

A criatividade é a habilidade de estar em situações, avaliá-las e gerar soluções para as mesmas, de forma que o seu raciocínio fuja dos padrões que te levaram a tal ponto. Com isso, novas ideias e situações são criadas. Não encare a criatividade como “iluminação divina” ou “dom de nascença”, mas encare-a como uma habilidade que é adquirida através de três coisas: Observação, questionamento e movimento.

Uma pessoa criativa é aquela que muito observa o arredor, as necessidades próprias e dos outros, e que, logo depois de constatar os aspectos externos, começa a questionar tudo e todos, mesmo que de forma muito introspectiva. Por fim, a pessoa criativa se movimenta rumo às soluções que ela elaborou com base na sua situação-problema. Todo esse processo gira em círculos, e, carinhosamente, é conhecido por “Processo Criativo”.

Os processos criativos são diversos e muito variáveis, já que dependem puramente do raciocínio humano. É muito comum ouvir esse termo de Publicitários ou especialistas em Marketing, porém, isso não significa que nós, os meros humanos, não podemos aprender um pouquinho com eles.

Se você se considera uma pessoa criativa, mas que enfrenta dificuldades na hora de agir, ou, que não se considera criativo, mas que gostaria de se tornar um, apresento-te, então, oito dicas que irão impulsionar suas habilidades de criação e produção.

1- Tenha paixão pelo o que faz.

Precisamos falar sobre sentimento. Está mais que óbvio que, na nossa sociedade atual, só sobrevivem aqueles que fazem o que amam, e, não importa para onde você olhe, sempre vai detectar o bom trabalho de alguém pela paixão que essa pessoa dedica a ele.

Dedique paixão a tudo que você faz e é certeza de que a criatividade surgirá de mãos dadas com a vontade de criar e produzir.

    Você tem que encontrar algo que você ame o suficiente para ser capaz de aceitar riscos, pular sobre os obstáculos e avançar sobre os muros que serão sempre colocados na sua frente. Se você não tem este tipo de sentimento por aquilo que está fazendo, você parará no primeiro grande obstáculo-

                                                                        George Lucas

2- Pratique.

A criatividade não tem nada a ver com iluminação divina, mas sim com trabalho árduo. Para que um conhecimento tácito surja, é preciso que ele seja praticado por mais de 10.000 horas até que o seu cérebro o associe de verdade e comece a fazê-lo de forma automática.

Então não se desespere caso enfrente dificuldades com seus processos de criação, mas também não desista fácil. A prática leva a perfeição, e, nesse caso, a prática da criatividade te tornará um expert aonde você for.

3- Imponha limites ao seu trabalho.

Okay, okay, aqui entra o grande “X” desse assunto. Sempre afirmaram que quanto mais livre é a pessoa, mais criativa e produtiva ela é, no entanto, a realidade é bem outra. Em uma experiência própria, permita-se, um dia, tentar criar algo sem um tema, proporções, finalidade e outros definido e veja no que vai dar.

O segredo para um bom desenvolvimento é definir limites e pré-requisitos para a sua criação, assim, seu cérebro não terá tanta dificuldade em organizar as ideias e coloca-las no papel.

4- Organize suas ideias em voz alta.

Essa, com certeza, é a dica mais inusitada da lista, mas nem por isso menos eficiente. Como uma dica utilizada em métodos de PNL (Programação Neuro Linguística), ela tem como objetivo te ajudar a esclarecer e avaliar suas ideias, de forma que apenas as melhores sejam selecionadas e postas em prática.

Além de ajudar a se posicionar, também é uma ótima maneira de aliviar o estresse ou a ansiedade. Por isso, não se preocupe de parecer um lunático falando com as paredes. Tudo isso faz parte de ser criativo.

5- Seja curioso.

Como dito lá no comecinho, uma pessoa criativa sempre observa muito, questiona muito e tudo isso se dá porque dentro dela existe uma vontade de sempre aprender, entender algo novo.

Por isso, estude e procure absorver tudo o que pode, pois, uma hora, todo esse conhecimento adquirido se tornará fonte de soluções para situações futuras.

6- Se ligue mais como tudo acontece do que no resultado.

Eis um problema da nossa geração: Nós estamos mais focados no resultado da fórmula perfeita do hambúrguer de Siri do que em como ele é preparado. O Bob Esponja ficaria horrorizado, mas é a verdade.

Se preocupe mais com quais caminhos você está seguindo, quais seus pontos fortes e fracos, como você pode otimizar seus esforços, do que com os resultados que, cedo ou tarde, chegarão. Se o caminho a ser percorrido for bem trilhado, relaxe. Os resultados serão igualmente satisfatórios.

7- Se permita ser surpreendido.

Nunca, em hipótese alguma, deixe de buscar pelo entusiasmo e pelo frio na barriga de olhar para a sua obra prima e pensar “ Uau! Fui eu que fiz isso? ”. Busque por novos métodos, teste novas cores, novos sabores, novos gêneros literários e cresça, não importa o medo.

Caso um dia se sinta seguro com algum método de criação, isso quer dizer que você já o associou e já não é um desafio. Pessoas criativas não se contentam com o mesmo de sempre, por isso, não tenha medo de inovar e se surpreender.

8- Chame os seus medos para tomar um café.

“Um bom profissional sempre enfrenta um leão de Medeias por vez “.

O que essa frase quer dizer é que, um bom escritor, escultor, investidor, professor, entre outros, sempre enfrenta os seus medos, não importa quais sejam. Um grande vilão para a criatividade é o medo absurdo de errar, porém não se preocupe com isso. Errar significa que a você pode tentar outra vez com outro método até encontrar o certo.

Então, não abaixe a cabeça quando se sentir quase paralisado pelos seus medos. Tenha coragem o bastante para confiar em todos os esforços que você fez para que tudo desse certo e siga em frente. Lembre-se, os resultados sempre chegarão, por isso, não vale a pena ficar chorando por algo que ainda nem aconteceu. Sente-se a mesa com seus medos e ofereça um café, te garanto que eles vão parecer menos assustadores dessa forma.

Caso essa lista não tenha te acrescentado nada, não tem problema, a vida tem dessas coisas, porém nunca pare de tentar ser melhor. Com ou sem dicas, o seu sucesso evolvendo a criatividade só depende de você!