Crítica – Batman v Superman: A Origem da Justiça

Batman-Vs-Superman-poster

Batman v Superman: A Origem da Justiça

Gênero: Fantasia/Ficção científica
Direção: Zack Snyder
Roteiro: Zack Snyder
Duração: 2h 33m
Elenco: Ben Affleck, Henry Cavill, Amy Adams, Jason Momoa, Gal Gadot , Diane Lane, Jesse Eisenberg


Não é segredo que Zack Snyder é conhecido por suas grandes obras de adaptações de quadrinhos no cinema, como Watchmen e 300. Quem já conhece os trabalhos de Snyder, já está acostumado com o tom mais “sombrio” do diretor; e com Batman v Superman não é diferente.

O filme prova que os filmes de Super-Heróis podem sim ter uma narrativa mais séria, e que não é necessário seguir a mesma receita da concorrente para ter a aprovação do publico. Desde o inicio conseguimos sentir as dores e as motivações que Bruce Wayne (Ben Affleck) tem, e que para ele o Superman (Henry Cavill) não é apenas um “miserável que trouxe a guerra até nós“, e sim alguém que se quiser tem o poder de aniquilar toda a humanidade.

batman-v-superman-screaming-bruce-wayneUma das coisas que me surpreendeu foi como Ben Affleck conseguiu adaptar perfeitamente o Batman que conhecemos tanto nos quadrinhos quanto nas clássicas animações, mostrando assim ser um playboy bilionário mais “humano” do que as antigas adaptações. Quando Diana Prince (Gal Gadot) aparece pela primeira vez, podemos ver o bom e velho estilo mulherengo de Bruce Wayne, que a tempos não era retratado desta forma.

wonder-woman-630x630

E falando em Diana Prince, nossa Mulher Maravilha foi uma das melhores coisas do filme. Apesar das diversas críticas sobre a atriz, ainda assim Gal Gadot conseguiu mostrar o porque conseguiu o papel da personagem, e trouxe aos cinemas uma guerreira badass com uma força digna da melhor amazona.

supermanE falando um pouco agora sobre o nosso querido Homem de Aço, no filme conseguimos enxergar um Clark Kent mais maduro, mas que ainda assim está aprendendo qual é a essência de ser um herói. As ações tomadas no primeiro filme, inclusive a destruição em massa, trouxeram grandes consequências, assim fazendo muitos questionarem se realmente é preciso existir um salvador vindo de outro planeta para que possamos estar seguros de ameaças, ou se a ameaça é o salvador. Snyder conseguiu adicionar no roteiro vários pontos de vistas diferente sobre o herói, e o que deixa toda a trama ainda mais interessante é ver Lex Luthor em ação para trazer essas controvérsias.

jesse-eisenberg-lex-luthorA nova adaptação traz um Lex Luthor muito diferente do que estamos acostumados a ver, Jesse Eisenberg fez com que sentíssemos a loucura do personagem já no olhar, quase tão quanto o Coringa costuma fazer, pois vemos que Lex realmente quer ver o “circo pegar fogo”, sinceramente esse excesso de loucura me incomodou, senti um pouco de falta do Lex Luthor como uma pessoa mais culta, de terno e gravata. Mas podemos perceber que o personagem ainda está em faze de crescimento e com o decorrer do filme Jesse conseguiu ganhar a minha atenção, e como já dito foi ele quem deixou tudo mais interessante até a chegada do Apocalipse.

bvs-frankmiller
Batman – O Cavaleiro das Trevas

A grande batalha de gladiadores foi surpreendente e um prato cheio para qualquer fã de quadrinhos, sabemos que muitos tem falado mal do excesso de fan service (ter referências aos quadrinhos) no filme, colocando isso então como um ponto negativo. Mas afinal, o filme é uma adaptação dos quadrinhos e foi criticado por ter várias referências aos quadrinhos? Eu sinceramente não vejo sentido nisso, e fico eternamente agradecido ao Zack Snyder por isso, pois ele realmente bebeu da fonte de Frank Miller, e adaptou muita coisa boa da Graphic Novel O Cavaleiro das Trevas no filme.

Batman não tem mais problemas com movimentos limitados iguais os filmes anteriores, o novo Batman é rápido e forte e surpreende nas cenas de lutas que lembram muito os da série Arkham nos Video-Games. E na luta contra o Apocalipse mesmo sendo o mais fraco, ele ainda consegue auxiliar dando suporte ao Superman e a Mulher Maravilha.

apocalipseA luta contra o Apocalipse é ótima, mas creio que ele como o grande vilão poderia ter sido usado melhor no filme, ou até acrescentando mais evoluções, pois infelizmente a batalha teve um desfecho muito rápido. A Mulher Maravilha lutando ao lado de Batman e Superman é uma cena linda de se ver, da até um arrepio ver a trindade unida pela primeira vez nos cinemas depois de tanto tempo acompanhando os vários desenhos e quadrinhos.

Na minha opinião é um filme revolucionário, e traz muitas referências a Liga da Justiça e ao multiverso DC na qual não darei spoilers, mas que deixou a todos muitos pontos de interrogação. O fato de ser sombrio com certeza ajuda a diferenciar aos filmes da Marvel, onde faz com que possamos tirar proveito de um universo novo e completamente diferente.

É sem duvidas um filme para se ver e rever incontáveis vezes, pois com certeza farei isso.

Nota do crítico: (9,4/10)
Pipocometro-5

Ghilbert Wellington

Viciado em filmes e séries e grande amante da nona arte.